Sobre a Reforma Trabalhista

MPT faz visita à ORVAM – ONG dos Ribeirinhos Vítimas de Acidentes de Motor

Entidade é uma das cadastradas como potencial beneficiária de reversões em processos judiciais e extrajudiciais existentes no órgão

Entre 8 de fevereiro e 10 de março de 2017, esteve aberto, no Ministério Público do Trabalho no Pará e Amapá, o edital de cadastramento de instituições sem fins lucrativos para benefícios em reversões de multas e indenizações realizadas pelo órgão. Nas últimas semanas, o MPT, representado pelo Procurador-Chefe Hideraldo Luiz de Sousa Machado, esteve na ORVAM – ONG dos Ribeirinhos Vítimas de Acidentes de Motor, uma das entidades de interesse público cadastradas, conhecendo o trabalho desenvolvido pela organização.

A ORVAM funciona em uma casa, cedida pela Prefeitura de Belém e construída há 6 anos graças à ação de um programa de televisão. A ONG, que trabalha na confecção de perucas, tem como objetivo trabalhar a autoestima das vítimas de escalpelamento (arrancamento brusco e acidental do escalpo humano, mais comumente por motores dos barcos), combater o preconceito e propiciar o ingresso desse público no mercado de trabalho.

A presidente da organização, Maria Cristina dos Santos, expôs que a entidade passa por uma situação financeira difícil, é mantida com trabalho de voluntários e estagiários do curso de Serviço Social. No passado, a ONG recebia ajuda de custo do Governo do Estado do Pará e, como contraprestação, encaminhava todos os meses 5 perucas ao Hospital Ophir Loyola, que atende pacientes com câncer.

À época do convênio com o Estado, a Orvam disponibilizava serviço de Psicologia, Pedagogia e Enfermagem e dispunha de uma advogada e um contador. Hoje, sobrevive de doações e da venda de perucas a mulheres que não sofreram escalpelamento. Às vítimas do acidente, as perucas são fornecidas gratuitamente.

Doação de perucas

Por meio do cadastro efetuado pela vítima de escalpelamento na Orvam, é possível escolher uma peruca já pronta ou o cabelo com o qual será confeccionado o objeto. Atualmente, 128 mulheres estão registradas na organização e já foram beneficiadas, inclusive, com alguns encaminhamentos ao mercado de trabalho.

De acordo com a presidente da ONG, existe ainda a intenção de incentivar que as vítimas de escalpelamento, beneficiadas pelo serviço, se integrem ao trabalho realizado pela instituição.

 

Confecção de perucas
Confecção de perucas

 

Procurador-chefe Hideraldo Machado em reunião com voluntárias
Procurador-chefe Hideraldo Machado em reunião com voluntárias

 

Sede da Orvam
Sede da Orvam

 

Ministério Público do Trabalho
Assessoria de Comunicação

 

 

 

Imprimir